17 janeiro 2015

Dúvida da leitora: Como sobreviver a quarentena?

Room inspirationOi oi! Cá estou eu pra inventar mais categoria nesse blog :P
Eu tenho recebido alguns comentários com dúvidas sobre a vida na EEAr, o relacionamento à distância e coisas assim. Como o layout do blog não permite que eu responda aos comentários, resolvi expor as dúvidas aqui e respondê-las também! Depois eu pretendo mudar o layout (ainda não fiz isso por falta de tempo), mas vou manter a categoria. Então, bora lá dar o pontapé inicial?

A dúvida de hoje é da minha xará Brenda:

Olá Brenda, me chamo Brenda também kkkk e fazem 4 dias que meu namorado foi pra EEAr,
é muito difícil a saudade, porém o que mais está me matando é que ele está pensando em
desistir por causa da rotina e da quarentena, você teria algum conselho pra me dar e eu ajuda-lo?
Seu blog é muito legal (:  em Despedidas e Reencontros


Voltando lá pra 2013, me lembro perfeitamente do início da Quarentena do meu marido. Eu só fazia chorar pelos cantos (tudo bem escondido, pra ele não descobrir!). Recebi a primeira ligação dele na madrugada do dia 21 (ele entrou lá dia 20), corri pra atender e segurei o choro! A voz dele estava embargada e ele hesitou bastante quando eu perguntei se ele estava bem. Por fim, ele me disse que estava tudo bem e que só havia tido tempo pra ligar naquela hora, mas que já precisava desligar porque estava ligando escondido e tinha medo de alguém o ver. Assim que ele desligou, eu chorei tudo o que tinha pra chorar. Além da minha saudade parecer que ia me engolir uma hora ou outra, ainda havia a certeza de que ele não estava bem!
Acho que o instinto da gente é querer dizer "Volte pra casa", mas é a hora de ser racional. Entrar na EEAr não é tarefa fácil, sobreviver lá dentro é ainda mais difícil, mas o resultado final é recompensador.
O conselho que dou é: Mostre à ele os prós da carreira (estabilidade, poder conhecer o Brasil inteiro, formação de caráter,...), os motivos que o levaram até lá e os obstáculos que ele teve de ultrapassar.
A Quarentena é o período de adaptação, é a hora de sair o civil e entrar o militar. Exige disciplina, amor e coragem, adjetivos que compõem a conduta do Especialista.
Quando conversamos entre amigos, normalmente escuto a seguinte frase "Se eu não tivesse pedido ela em casamento, eu teria desistido". Um dos motivos dele foi o casamento! Ele me pediu em casamento no dia em que entrou na EEAr, e queria se casar comigo logo depois da formatura. Para tanto, ele precisava sobreviver à quarentena e às séries subsequentes.
Somos as maiores motivadoras deles lá dentro, mas é necessário, também, que eles se automotivem.
Dê todo o apoio que ele precisa, encoraje-o. A quarentena acaba, mas a frustração por ter desistido não.
Tô torcendo pra que dê tudo certo pra vocês! Fiquem firmes!

Coragem é a resistência ao medo, domínio do medo, e não a ausência do medo. (Mark Twain)

3 comentários:

Anônimo disse...

Olá Brenda, conheci seu blog nesta semana e ele tem me feito muita companhia rs.
Meu amor ainda está em quarentena e o Banho do Bicho vai ser dia 13/02. Estou contando os milésimos de segundo para poder vê-lo, com um misto de sentimentos, ansiosa que só e rindo a toa! Rs
Tenho tentado ser forte para que ele não fique preocupado comigo e com a graça de Deus tenho conseguido. É difícil, mas realmente é recompensador! Ele está lutando bastante, assim como todos os outros e eu? Estou lutando aqui também.

Que Deus continue te abençoando e te inspirando a escrever mais post's bacanas e que falam aos nossos corações. Grande beijo!

Anônimo disse...

Olá Brenda..meu amor entra em quarentena dia 28/06 a gente já namora a distancia... Nos vemos de dois em dois meses e eu moro pertinho de guará... Estou com medo quero que tudo acabe logo e quero poder ver ele todo fds logo :(

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.

Postar um comentário

Real Time Web Analytics